Uso de recursos agroflorestais em comunidades na zona de influência da Estrada de Ferro Carajás (EFC)

Autor(es): VILARINHO, Charles Caldas
Resumo: A agricultura familiar no Brasil se caracteriza geralmente por uma diversidade de cultivos e práticas, combinando produção direta para subsistência com produção para o mercado. Na região amazônica, dependendo do contexto, inclui-se ainda o extrativismo. Este trabalho se foca em comunidades da região atravessada pela Estrada de Ferro Carajás (EFC), na Amazônia Oriental, que se caracteriza, de uma forma geral, por fracos indicadores socioeconômicos, sendo palco para conflitos sociais que interferem com a operação da ferrovia. O presente estudo objetiva a análise da pluriatividade própria da agricultura familiar das comunidades no entorno da EFC, no sentido de subsidiar ações que fortaleçam a segurança alimentar e as opções de trabalho e renda a partir dos recursos agroflorestais do território. Toma-se como estudo de caso um conjunto de comunidades situadas ao longo dessa ferrovia, em contextos diferenciados. Em cada uma delas foi analisada a produção, a diversidade de espécies e a organização do trabalho, identificando potencialidades e limites à sua reprodução social. A pesquisa de campo foi realizada no âmbito da uma expedição à EFC, que decorreu no período de 2 a 14 de agosto de 2016. Para este trabalho específico, foram visitadas 7 comunidades (rurais e urbanas), no entorno da ferrovia. A partir de pesquisa qualitativa, através de entrevistas com lideranças e com alguns moradores, se procurou observar e recolher informações sobre o uso dos recursos agroflorestais nessas comunidades. Foram analisados os cultivos, as criações e recursos extrativos, trabalhados nos quintais, nos lotes agrícolas (individuais e/ou coletivos) e em áreas de remanescentes de vegetação (matas, rios, lagos, etc.), onde os moradores praticam o extrativismo. Este trabalho analisou a agricultura familiar em cada comunidade, realizando um levantamento das espécies trabalhadas em cada uma, abordando os seguintes aspectos: uso, trabalho individual ou coletivo, mão de obra, manejos realizados e, em caso de comercialização, onde comercializam e como escoam os produtos, e os problemas enfrentados. Foram ainda registradas algumas reclamações dos entrevistados, que foram divididas em problemas estruturais nas próprias comunidades e problemas relacionados a Estrada de Ferro Carajás. Neste último, as reclamações foram devido ao ruído, vibração e morte de animais que, por estarem soltos, atravessam a ferrovia e são atingidos pelo trem. Algumas das comunidades visitadas apresentam também problemas maiores relacionados a regularização de terras. As informações levantadas neste estudo podem servir para subsidiar ações futuras como capacitações técnicas locais de assuntos de interesse e/ou importantes para comunidade. O objetivo é o fortalecimento dos agricultores familiares e das associações locais, diminuindo suas vulnerabilidades e, consequentemente, os conflitos sociais que acabam por interferir com a EFC.
Ano: 2018
Páginas: 88 f.
DOI: 10.29223/PROD.TEC.ITV.DS.2018.3.Vilarinho
Orientação: Jorge Filipe dos Santos, Dr.
Link para o PDF: Clique aqui
Curso: Mestrado em Uso Sustentável de Recursos Naturais em Regiões Tropicais