Propagação e crescimento de gramíneas nativas das cangas de Carajás.

Autor(es): LIMA, Madson OLiveira.
Resumo: Ambiente degradados, principalmente os impactados pela mineração como as pilhas de estéril e taludes do interior de mina, apresentam, na maioria dos casos, substratos com baixo teor de matéria orgânica e disponibilidade de nutrientes. Para revegetação destas áreas e redução da erosão, há a necessidade de uso de plantas com crescimento rápido para recobrimento do solo, as quais devem apresentar elevada capacidade de incorporação de carbono (C), facilidade de propagação e ocorrência
nas comunidades do entorno (espécies nativas). Portanto, objetivou-se avaliar o crescimento de gramíneas nativas em função do incremento de nitrogênio (N) ao substrato de áreas de mineração de Carajás a ser revegetado. Foram selecionadas as espécies nativas Paspalum cinerascens e o Axonopus longispicus para propagação e crescimento, pois estão entre as mais comuns nas formações de canga nas Serras de Carajás, onde ocorre mineração de ferro na região. O estudo teve duração de 110 dias de cultivo e teve a adição de N fracionada em 3 doses (fonte ureia - CH4N2O) e quatro níveis de N (0, 40,80 e 200). As variáveis analisadas foram biomassa de raiz e aérea, trocas gasosas, teor de pigmentos, anatomia foliar e composição nutricional da parte aérea. As duas gramíneas nativas apresentaram potencial de propagação vegetativa via separação de perfilhos. Apesar de o crescimento de A. longispicus não ter sido alterado pela maior disponibilização de N, um maior sucesso de crescimento destes perfilhos foi observado para o P. cinerascens. Esta espécie aumentou em mais de 2x a capacidade de fixação de
carbono, perfazendo em acúmulo de biomassa superior em cerca 3x ao tratamento controle. Ademais, ajustes fisiológicos como à diminuição do número de estômatos na epiderme celular permitiram não só o aumento da condutância como o maior controle de abertura dos mesmos devido ao aumento dos diâmetros polar e equatorial, permitindo a uma maior eficiência de uso da água. Ambas as espécies apresentaram potencial uso para emprego na revegetação em áreas de mineração em Carajás. O P. cinerascens apresentou crescimento otimizado após correção de pH, fertilização e adição de 80 mg de N por dm3 de substrato estéril vermelho e o A. longispicus apresenta alta taxa de sobrevivência dos perfilhos, no entanto, novos estudos são
necessários, visando aumentar a produção de biomassa para esta espécie.
Ano: 2020
Páginas: 80 p.
Link para o PDF: Clique aqui