Parcelas e transectos delimitados e escolha dos alvos da biodiversidade que serão inventariados

Autor(es): GIANNINI, Tereza Cristina et al.
Resumo: As crescentes mudanças globais de ordem antropogênica requerem novas perspectivas sobre a biodiversidade, sendo o conceito de Capital Natural um elemento importante nessa evolução. Em linhas gerais, o capital natural consiste em um estoque de recursos (no caso, naturais) que possui a capacidade de dar origem a um fluxo de bens e/ou serviços, e tem sido contabilizado, de modo geral, analisando-se ecossistemas, espécies, solo, água e atmosfera. No entanto, avaliar o capital natural baseado em dados de biodiversidade de áreas preservadas não é uma tarefa trivial, e ainda não existe uma proposta metodológica padronizada para tal fim. Para tanto, o projeto Capital Natural da Floresta Nacional de Carajás visa avaliar o capital natural baseado na biodiversidade, estoque de carbono e recursos hídricos desta Floresta. O presente relatório tem como objetivo propor um desenho experimental baseado em parcelas e transectos para orientar a coleta de dados de biodiversidade em campo, e determinar espécies alvo que possam ser utilizadas para avaliar o capital natural estocado na floresta. Os resultados finais do projeto Capital Natural irão contribuir como subsídio para o Setor Privado e o Ministério Público para processos de tomada de decisão envolvendo mitigação do impacto nas atividades de mineração e restauração de áreas degradadas pós mineração. Ademais, a avaliação do capital natural participa do conceito de sustentabilidade, uma meta importante para as empresas de mineração, e pode conduzir a estratégias de inovação, mapeamento de novos mercados e parcerias, e oportunidades importantes para a conservação das áreas naturais.
Ano: 2020
Páginas: 23
DOI: 10.29223/PROD.TEC.ITV.DS.2020.01.Giannini
Tipo de relatório: Relatório final
Link para o PDF: Clique aqui