Morcegos da Floresta Nacional De Carajás – PA: lista de espécies

Autor(es): SANTOS, Tamily Carvalho Melo dos; GIANNINI, Tereza Cristina
Resumo: Os morcegos constituem um dos grupos com maior riqueza em espécies entre os mamíferos, e podem conter de 20 a 25% das espécies em uma comunidade em florestas tropicais. As assembleias de morcegos neotropicais mostram alta estruturação, além de alta diversidade e abundância relativa. A maior diversidade de espécies de morcegos encontra-se na região neotropical, com 83 gêneros e aproximadamente 288 espécies registradas. No Brasil atualmente estão listados 68 gêneros, nove famílias e 178 espécies de morcegos. Na Amazônia brasileira são encontradas mais de 150 espécies pertencentes a nove famílias E, considerando a importância dos morcegos para a manutenção e reestruturação dos ecossistemas, estudos que sirvam de subsídios e que venham a contribuir para o conhecimento das espécies de morcegos que ocorrem na região Amazônica são de extrema
importância. Tais informações servirão como subsídio e suporte para o estabelecimento de parâmetros para futuras estratégias de conservação, e para o preenchimento de lacunas existentes sobre os morcegos na região. Nesse sentindo o presente objetivo deste trabalho foi listar as espécies de morcegos que ocorrem na Floresta Nacional de Carajás e classificar as espécies de acordo com a guilda trófica. A lista das espécies de morcegos reportados para Floresta Nacional de Carajás já estava disponível. A Família Phyllostomidae contribuiu com a
maioria das espécies (55), do total de 83 espécies registradas para a Floresta Nacional de Carajás. A espécie com maior área de distribuição por Km2 é Chiroderma villosum (13.012.667). Quando analisadas as guildas, os insetívoros (35) contribuíram com a maioria das espécies na Floresta Nacional de Carajás, seguidos pelos onívoros (29), frugívoros (16) e nectarívoros (3). À medida que os morcegos compartilham os recursos naturais, em particular os recursos alimentares, eles influenciam de forma direta na dinâmica dos ecossistemas e contribuem para a manutenção das florestas e no controle de pragas.
Ano: 2018
Páginas: 22 f.
DOI: https://doi.org/10.29223/PROD.TEC.ITV.DS.2018.1.Santos
Link: http://pergamum.itvds.org:81/vinculos/00000d/00000d00.pdf
Ano de publicação: 2018
Link para o PDF: Clique aqui