Minimização da variabilidade de teores na alimentação das usinas de beneficiamento: uma análise do plano de lavra

Autor(es): SANTOS, Janaina Gonçalves
Resumo: O aproveitamento de material marginal, material de baixo teor que é destinado ao depósito de estéril, é uma excelente alternativa para viabilizar e manter no mercado empreendimentos mineiros considerando o contexto econômico atual. Esse aproveitamento é possível por meio da mistura (blendagem) com materiais de alto teor. A oscilação no teor de corte e as tecnologias no beneficiamento de minérios têm contribuído para utilização desse tipo de recurso. O objetivo deste trabalho é avaliar o plano de lavra, em um cenário de curto prazo, aliando o aproveitamento de material marginal à dispersão da qualidade diária do material alimentado nas usinas de beneficiamento. Inicialmente é realizada a análise de uma rotina já utilizada no Planejamento de Lavra de Curto Prazo do Complexo Vargem Grande (localizado em Nova Lima – MG) referente à Parametrização Multivariável, a partir de um modelo de blocos geológico. Esse processo é importante pois viabiliza o aproveitamento controlado de material pobre que em grande maioria seria contabilizado como estéril. A variabilidade diária na alimentação das usinas é um ponto inerente ao aproveitamento dos materiais pobres através da parametrização, já que haverá aumento no intervalo de teores que irão compor o run of mine (ROM). O problema dessa variabilidade será avaliado e possíveis modelos de sequenciamento serão investigados. Para esse estudo é utilizado um algoritmo, criado na Vale em parceria com o Instituto Tecnológico Vale - ITV Mineração. A etapa principal do trabalho visa a adequação do algoritmo à rotina das equipes de planejamento de lavra chamando a atenção para um controle otimizado do aproveitamento de material pobre, no caso os itabiritos, e estudando o impacto que esse aproveitamento traz para a rotina das equipes de planejamento de lavra, operação de mina, usinas de beneficiamento, programação de vendas de minério e embarque. A sequência de atividades consiste em: realização de testes com o algoritmo confeccionado pela equipe de Planejamento de Lavra junto ao ITV Mineração para adequação às necessidades das equipes, acompanhamento da variabilidade diária através do uso do algoritmo, inclusão da metodologia na rotina das equipes de Planejamento de Lavra. Com o aproveitamento controlado desses materiais, as reservas poderão aumentar em 10%, aumentando a competitividade da Vale no mercado. Além disso, será realizada uma análise em relação à variabilidade de ROM que alimentará as unidades de beneficiamento de minério permitindo maior previsibilidade e assertividade nas programações de produção e maior produtividade dessas unidades
Ano: 2017
Páginas: 55 f.
Ano de publicação: 2017
Orientação: Gustavo Pessin, Dr.
Link para o PDF: Clique aqui
Curso: Mestrado em Uso Sustentável de Recursos Naturais em Regiões Tropicais