Imagens de satélite de alta resolução para avaliar a recuperação de áreas degradadas em minas de ferro a céu aberto

Autor(es): VASCONCELOS, Keren Amanda Viana de
Resumo: A recuperação de áreas degradadas (RAD) é mandatória, principalmente se tratando de mineração dentro de unidades de conservação ambiental. Os procedimentos de RAD são dinâmicos, complexos e onerosos. O monitoramento e avaliação dos estágios de desenvolvimento das áreas de RAD constitui uma etapa fundamental, que é prevista na legislação brasileira. Atualmente, em muitos empreendimentos minerais o monitoramento da cobertura vegetal ainda é feito em campo através da análise de parcelas ou transectos, o que demanda tempo e recursos dispendiosos. As geotecnologias fornecem produtos com versatilidade e podem ser integradas nesse contexto, a fim de aprimorar as atuais técnicas de monitoramento e reduzir custos. O objetivo deste trabalho foi realizar o mapeamento e quantificação da revegetação de áreas degradadas nas minas de ferro N4 e N5, localizadas em Carajás, no sudeste da Amazônia. A metodologia consistiu na aquisição de dados em campo, processamento digital e classificação de imagens orbitais de alta resolução segundo a abordagem baseada em objetos geográficos – GEOBIA. A partir de uma árvore de decisão com três níveis de segmentação e classificação, foi possível identificar e mensurar a área de duas classes de cobertura da terra (floresta e canga) e três classes de uso (mineração, revegetação arbustiva-arbórea e revegetação graminosa) para o ano de 2017. A classificação atingiu acurácia global de 92% e índice Kappa de 0,87. Os produtos gerados demonstraram a precisão e eficiência do método aplicado para medições de áreas revegetadas e podem auxiliar no planejamento, regulação e monitoramento da recuperação progressiva em minas a céu aberto.
Ano: 2019
Páginas: 66 f.
Ano de publicação: 2019
Orientação: Pedro Walfir Martins Souza-Filho, Dr.
Link para o PDF: Clique aqui
Curso: Mestrado em Uso Sustentável de Recursos Naturais em Regiões Tropicais