Geoquímica de sedimentos lacustres com substrato laterítico da Serra Bocaina, Amazônia: implicações para o entendimento da sedimentação, intemperismo e proveniência

Autor(es): MORAES, Aline Mamede de
Resumo: A presente pesquisa utilizou a avaliação estatística de dados geoquímicos dos sedimentos de lagoas e do material da área de captação da Serra do Bocaina, para identificar a assinatura geoquímica dessas lagoas, conhecer a implicação das rochas fontes no sedimento e também sua proveniência, o intemperismo e os processos sedimentares atuantes na bacia e a relação entre cada lagoa. Foram comparados os resultados dos dados brutos, transformados por log10 e por centred log-ratio transformation (clr). As análises estatísticas, descritivas e multivariadas foram realizadas utilizando-se o software R® para os 47 elementos selecionados. Para as amostras de sedimento, os elementos maiores e menores foram avaliados por Espectrometria de Emissão Ótica por Plasma Acoplado Indutivamente (ICP-OES), enquanto que, os elementos traços, incluindo os terras raras (ETR), foram analisados por Espectrometria de Massa por Plasma Acoplado Indutivamente (ICPMS). Para as amostras de rocha e solo os elementos maiores e menores foram analisados por Fluorescência de Raio-X (FRX) e traços ICP-MS. A intensidade do intemperismo foi deduzida a partir do Índice de alteração química (CIA) associado à avaliação do diagrama ternário (A–CN–K), e dos índices MIA – Índice de alteração máfica e IOL – Índice de Lateritização/Intemperismo e outros índices. As composições dos sedimentos foram normalizadas em relação a crosta continental superior (CCS) e mostraram grande enriquecimento em Ti, P, Cr, Se, V e Cu, moderados em Al, Fe, Sc, Th, Cu e Ga e fraco nos ETR, possivelmente refletindo a litologia da área de captação. Em geral, a distribuição dos elementos é semelhante nas quatros lagoas, sendo a ordem descrescente de abundância Si>Al>Fe>Ti. No entanto, as lagoas LB1 e LB2 mostraram maior semelhança entre si, assim como LB3 com LB4, visualizado também no gráfico de normalização em relação ao condrito. A análise de componentes principais (PCA) revelou quatros principais agrupamentos geoquímicos nos dados de sedimento clr: 1) Al-Ga-Cr-V-Ti-Nb, indicativos de rochas máficas; 2) Hf-Zr, juntos dos ETR pesados (ETRP), que correspondem aos minerais que resistiram ao intenso intemperismo; ETR leves (ETRL) que representam dentro dos ETR o grupo que foi retrabalhado e mobilizado pelos minerais; 3) Grupo de K2O e Rb, ligado aos feldspato; e 4) Porção controlada pela matéria orgânica, representada por P.F (perda ao fogo)-Hg-Se-TOC-TS-As-Pb. A assinatura detríticas nos sedimentos (grupos 1 e 3), foi similar a das rochas da bacia (grupo 1 e 3). A análise linear discriminante (LDA) e de PCA de todas as amostras, indicou que os sedimentos não são derivados diretamente das formações ferríferas bandadas (FFB) e sim de lateritas enriquecidas em Al provenientes do intemperismo de rochas metavulcânicas.
Ano: 2018
Páginas: 84 f.
Ano de publicação: 2018
Orientação: Prafulla Kumar Sahoo, Dr.; José Tasso Felix Guimarães, Dr.
Link para o PDF: Clique aqui
Curso: Mestrado em Uso Sustentável de Recursos Naturais em Regiões Tropicais