Diversidade ecológica de fungos em solos de fitofisionomias da Canga de Carajás

Autor(es): ALMEIDA, Mateus Sousa de; COSTA, Paulo Henrique de Oliveira; FONSECA, Lana Patrícia da Silva; OLIVEIRA, Guilherme; VALADARES, Rafael Borges da Silva
Resumo: A Serra dos Carajás possui diferentes fitofisionomias que crescem sob influência da Canga, cujas plantas possuem elevado grau de endemismo. Neste ambiente a comunidade de fungos do solo atua como facilitadora do crescimento vegetal, ao prover condições favoráveis no solo, além de incrementar a resistência e resiliência das plantas. Tal comunidade está sujeita a perturbações severas causadas pela mineração que impactam a diversidade de fungos e eventualmente a capacidade de
manutenção e recuperação do solo. O conhecimento da diversidade funcional de fungos nas fitofisionomias específicas de canga pode fornecer subsídios para estratégias de sua conservação e recuperação. Tendo em vista os progressos metodológicos em ecologia de fungos, existem novas perspectivas para acessar a diversidade de fungos do solo nos mais diversos ecossistemas, como o DNA metabarcoding. Este trabalho objetivou realizar inferências funcionais da comunidade de fungos presentes no solo das diferentes fitofisionomias sobre canga em Carajás. Foram coletadas e analisadas 48 amostras representativas do solo das fitofisionomias capão florestal (CF), campo rupestre arbustivo (CRA), campo graminoso (CG) e
campo rupestre de vellozias (CRV). O DNA das amostras foi extraído pelo kit Powersoil, e a região ITS2 amplificada, sequenciada e analisada. A classificação taxonômica teve como base a base de dados UNITE, tendo seu produto correlacionado a dados ecológicos pelo programa FUNGuild. Ao fim das análises foram utilizadas 397707 sequências que geraram 3574 unidades taxonômicas (OTUs), das quais 633 tiveram metadados assinalados e classificados dentro de grupos funcionais. Por meio desta análise foi possível identificar grupos de fungos até então desconhecidos em solos da canga de Carajás. Os táxons de maior abundância encontrados se relacionavam a condições intrísecas das fitofisionomias o que permitiu fazer uma clara distinção entre elas. Foi destaque no CF a ordem Archaeorhizomycetales, no CRA a ordem Hymenochaetales, no CRV a ordem Tremelalles e no CG a ordem Capnodiales. Destacou-se também a abundância de saprotrófos de solo e “saprotrófos gerais” encontradas no CF e CRA, o que provavelmente se deve a maiores profundidades de solo e acúmulo de matéria orgânica nestas fitofisionomias. Quanto aos fungos simbiontes destaca-se a identificação de 4 tipos de fungos micorrízicos, com a presença de fungos possivelmente formadores de micorrizas de orquidea além de um número elevado de endosimbiontes no CG, e fungos formadores de líquens, os quais são responsáveis pela nutrição de plantas, mineralização da matéria orgânica e possívelmente da formação do solo de canga. Esse conhecimento pode basear análises e técnicas adicionais na recuperação e conservação de áreas de interesse da mineração.
Ano: 2019
Páginas: 45 f.
DOI: 10.29223/PROD.TEC.ITV.DS.2019.14.Almeida
Ano de publicação: 2019
Tipo de relatório: Relatório Final
Link para o PDF: Clique aqui