Desenvolvimento inicial da vegetação nos sistemas de plantio de mudas e indução da regeneração natural em áreas de recuperação ambiental do projeto Ferro Carajás S11D

Autor(es): MEIRELES, Regina de Oliveira
Resumo: O presente estudo objetivou analisar a vegetação de dois sistemas: plantio de mudas e indução da regeneração natural, em áreas de recuperação ambiental no Projeto Ferro Carajás S11D. Os sistemas foram instalados em 2014 e a amostragem e avaliação da vegetação foram efetuadas após 12 meses. No plantio de mudas, a avaliação foi realizada por meio de 06 parcelas com dimensões de 10 x 20 m e sub parcelas de 10 x 10m e 5 x 5m, enquanto que na indução da regeneração natural, as parcelas foram instaladas ao longo de 12 transectos obedecendo as mesmas dimensões. A escolha das espécies para o plantio de mudas obedeceu ao critério de grupo ecológico (pioneira, secundária e clímax) e o espaçamento entre as mudas foi 2,5 x 2,5m. Técnicas silviculturais foram utilizadas para garantir o sucesso do plantio, enquanto que a área de regeneração natural foi cercada e recebeu controle contra o fogo. Nas áreas destinadas à indução da regeneração natural também foram utilizadas técnicas de nucleação (deposição de galharias no solo). Para ambos os sistemas foram analisados os parâmetros fitossociológicos, índice de diversidade de Shannon- Werner, Índice de Equabilidade de Pielou e o Índice de Regeneração Natural Total. Na área de plantio de mudas, foram identificados 191 indivíduos (40 espécies, 35 gêneros, e 17 famílias) e os índices de diversidade e equabilidade foram estimados em 0,22 e 0,02, respectivamente. No sistema de indução da regeneração natural, foi identificado um maior número de indivíduos e espécies (1486 indivíduos, 156 espécies, 142 gêneros e 54 famílias), resultando em índices mais elevados, tanto de diversidade (4,08) quanto de equabilidade (0,54). Embora a área sob indução da regeneração natural tenha apresentado uma comunidade mais diversa e distribuição de abundância mais uniforme entre as espécies, o controle de plantas invasoras é necessário, como demonstrado pela alta densidade e abundância de Urochloa brizantha (Brachiaria). A família Fabaceae se destacou tanto em termos de abundância quanto riqueza em ambos os sistemas de revegetação adotados, o que pode ser atribuído ao fato de algumas espécies dessa família fixarem biologicamente o nitrogênio, o que aparentemente pode representar uma vantagem no estabelecimento dessas como pioneiras, até mesmo em solos mais pobres ou degradados. O sistema de indução da regeneração apresentou maior riqueza e abundância de espécies. É importante ressaltar que o tempo de observação da área de plantio de mudas foi muito curto para demonstrar de maneira definitiva a eficácia do sistema, pois a área ainda deve apresentar mudanças na estrutura e composição da vegetação em função do tempo.
Ano: 2016
Páginas: 52 f.
Ano de publicação: 2016
Orientação: José Oswaldo Siqueira, Dr.
Link para o PDF: Clique aqui
Curso: Mestrado em Uso Sustentável de Recursos Naturais em Regiões Tropicais