Bioacústica para avaliação de biodiversidade animal aplicada à Floresta Nacional de Carajás

Autor(es): LUIZE, Bruno Garcia; MIRANDA, Leonardo S.; CASTRO, Amanda Paracampo de; MAIA, Ulysses Madureira; GIANNINI, Tereza Cristina.
Resumo: O conhecimento da biodiversidade apresenta lacunas que acarretam incertezas e dificultam a avaliação do capital natural existente e a tomada de decisões para o seu manejo sustentável. Gravações sonoras autônomas auxiliam na detecção e amostragem de espécies presentes nos mais diferentes ambientes e a caracterização de paisagens sonoras pode descrever diferenças entre habitats e indicar perturbações no ambiente. Neste estudo realizamos o monitoramento acústico por uma semana (6 e 14 de novembro de 2019) em 14 localidades florestais da Floresta Nacional (FLONA) de Carajás e utilizamos uma abordagem quantitativa para determinar indicadores que nos permitam descrever e comparar as paisagens sonoras destas localidades. Para amostrar a paisagem sonora foram registrados, com gravadores digitais, cerca de 12.000 arquivos sonoros de um minuto de duração cada. Para cada minuto de gravação foram calculados seis índices acústicos (1- Envelope de amplitude média, 2- Razão Sinal Ruído, 3- Índice de Atividade Acústica, 4- Índice de Entropia Acústica, 5- Índice de Diversidade Acústica, 6- Índice de Uniformidade Acústica) que descrevem a complexidade do sonograma em termos de duração, frequências e amplitudes das ondas sonoras. As localidades amostradas não apresentaram diferenças marcantes entre si quanto aos valores dos índices acústicos, havendo uma variação característica e coincidente, o que é esperado uma vez que todas as localidades amostradas são habitats de florestas ombrófilas densas. No entanto, mostramos que há considerável variação temporal nos valores dos índices descritores das paisagens sonoras, e esta variação potencialmente é relacionada à identidade das fontes emissoras de sons. Este monitoramento acústico é o primeiro a registrar continuamente os sons escutados na FLONA de Carajás, constituindo um legado importante, pois podem ser entendidos como cápsulas do tempo onde estão armazenadas as interações sonoras que ocorreram naquelas florestas em determinado momento. Recomendamos a continuidade do monitoramento acústico na FLONA de Carajás, visando a análise e extração das ricas informações propiciadas por estas gravações em monitoramento a longo prazo.
Ano: 2020
Páginas: 38
DOI: 10.29223/PROD.TEC.ITV.DS.2020.41.Luize
Ano de publicação: 2020
Data de elaboração: 2020