Avaliação da dinâmica espaço-temporal de supressão e recuperação de áreas degradadas das minas de ferro da Serra Norte

Autor(es): NASCIMENTO, Filipe Silveira
Resumo: A atividade de mineração possui como um de seus principais aspectos e impactos no ambiente a alteração do uso do solo associado a supressão da cobertura vegetal e movimentação do substrato. Por tal razão, a gestão territorial envolvendo as questões supracitados é uma das principais linhas de atuação das mineradoras no tocante à gestão ambiental em que são empregados recursos humanos e financeiros. O presente trabalho objetiva identificar e mapear as áreas de supressão e recuperação de áreas degradadas (RAD) nas minas de ferro de Serra Norte de Carajás, na Amazônia Oriental por meio da técnica de classificação orientada ao objeto de imagens de alta resolução espacial (e.g., Ikonos, GeoEye, WorldView III e modelo digital de elevação) associado com interpretação visual. Assim, foi possível identificar diferentes tipos de cobertura de solo e estimar a área de cada uma delas para os anos de 2011, 2012, 2013 e 2015 bem como a detecção de mudança das áreas entre as classes. Como resultado final entre o primeiro e o último ano, foi observado uma expansão de 588,42ha de áreas de mineração frente, principalmente, a áreas de floresta e campos rupestres. A extensão das áreas de RAD foram 838ha em 2011; 793,5ha em 2012; 801,6ha em 2013 e 1008,81ha em 2015 indicando um aumento de aproximadamente 17% das áreas recuperadas ao longo de todo o período. A detecção de mudanças indicou um somatório de alterações de áreas de: 213,6ha de floresta para área de mineração; 297,2ha de campo rupestre para área de mineração; 680ha de área de mineração para RAD e 657,7 de RAD para área de mineração. Além disso, 51% do total de área alterada ao longo dos períodos estudados está ligado a ganhos e perdas de áreas recuperadas. A avaliação de acurácia da classificação das imagens de satélites encontrou bons resultados com a utilização da metodologia de análise de imagens orientada a objetos geográficos com imagens de alta resolução espacial, obtendo índice Kappa e acurácia global da ordem de 0,78 e 88% respectivamente. A técnica se mostrou eficiente qualiquatitativamente para o monitoramento de médio a longo prazo das áreas de supressão e RAD tendo grau satisfatório de acurácia e aderência com a realidade. Por fim, a associação da capacidade computacional com a qualidade de interpretação humana, mostrou-se uma alternativa mais efetiva quando comparada ao uso das técnicas separadamente.
Ano: 2017
Páginas: 44 f.
DOI: 10.29223/PROD.TEC.ITV.DS.2017.4.Nascimento
Ano de publicação: 2017
Orientação: Pedro Walfir Martins Souza-Filho, PhD
Link para o PDF: Clique aqui
Curso: Mestrado em Uso Sustentável de Recursos Naturais em Regiões Tropicais