Análise do impacto da produção de óleo de palma na economia do nordeste paraense

Autor(es): SOUZA, Manoel Lopes de
Resumo: Atualmente, há um forte debate sobre um novo modelo de desenvolvimento com a matriz “energética limpa”. Para aproveitar esse novo nicho de mercado, o Governo Federal Brasileiro lançou em dezembro de 2005 o Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel – PNPB, com o objetivo de interiorizar o desenvolvimento a partir da produção da nova matriz energética. O objetivo geral desta dissertação é avaliar dinâmica espacial e econômica dos Municípios Paraenses Produtores de Dendê (MPPD) a partir da introdução do dendê na região, sob a perspectiva da teoria da Nova Geografia Econômica (NEG). Esta teoria prevê que a região central, em relação ao seu entorno (periferia), tende a apresentar maior renda per capita, maior densidade demográfica e maior número de habitantes. Os objetivos específicos são: 1) Identificar o padrão espacial anterior ao cultivo de dendê e distinguir qual(is) o(s) município(s) era(m) dominante(s) antes e depois do choque exógeno (investimentos no setor) para verificar e avaliar as disparidades regionais entre o “centro” e a “periferia” no nordeste paraense; e 2) Analisar os impactos da dendeicultura na dinâmica econômica local, refletida pela evolução da renda per capita municipal. A área geográfica deste estudo é composta por 19 MPPD. Como metodologia, aplicaram-se modelos de crescimento e convergência de renda per capita municipal (de longo prazo: 1991-2010; médio prazo: 1991-2000; e curto prazo: 2000-2005 e 2005-2010), a qual é explicada por um conjunto de variáveis que refletem as dimensões socioeconômica, ambiental, territorial e institucional. Os principais resultados encontrados são: 1) Não houve modificação da centralidade em relação ao padrão anterior ao dendê, com o município de Castanhal permanecendo como núcleo com base nos três critérios, incluindo no PIB per capita; 2) Em geral, os modelos estimados, em consonância com os estudos anteriores, apresentam evidências de convergência condicional do PIB per capita, a uma taxa que varia de 1,47% a 9,69% nos subperíodos analisados, a qual é maior do que a observada na análise de convergência de renda entre estados e entre áreas conurbadas; e 3) a dendeicultura apresentou efeito positivo para crescimento e convergência do PIB per capita dos MPPD, ao contrário do setor agropecuário como um todo.
Ano: 2015
Páginas: 83 f.
Ano de publicação: 2015
Orientação: Valente José Matlaba, Dr.
Link para o PDF: Clique aqui
Curso: Mestrado em Uso Sustentável de Recursos Naturais em Regiões Tropicais