Análise da participação dos quilombolas na extração de óleo resina de copaíba em áreas de mineração no alto rio Trombetas, Oriximiná/Pará

Autor(es): ARAGÃO, Alberto Juliê Monteiro de
Resumo: O presente estudo objetiva avaliar como a pesquisa, as boas práticas e o inventário de copaibeiras (Copaifera spp.) do platô Monte Branco, área de mineração da empresa Mineração Rio do Norte (MRN) em Oriximiná, oeste do Pará, podem auxiliar no processo de planejamento das futuras retiradas de óleo resina nessa área. Também analisa a importância econômica desse extrato florestal para as comunidades Jamari e Curuçá Mirim, ambas remanescentes de quilombos e localizadas às margens do Alto Rio Trombetas a aproximadamente 20 quilômetros do platô Monte Branco. Para tanto, foram analisados dados relativos a dois projetos de estruturação da cadeia da copaíba. O primeiro é o projeto que compõe o Programa de Educação Socioeconômico e Ambiental da MRN, uma condicionante que faz parte do Plano Básico Ambiental da mina Monte Branco. A MRN o desenvolve desde 2011 em parceria com as comunidades Jamari e Curuçá Mirim e a Fundação Amazônica de Defesa da Biosfera (FDB). O trabalho consiste em inventariar as populações naturais de copaibeiras no Monte Branco, promover atividades de capacitação comunitária para o plantio de mudas de copaíba em áreas de uso comunitário, além da estruturação de um método sustentado para a extração de óleo-resina, a partir do inventário. Outro projeto é o „Florestas de Valor‟, coordenado pelo Instituto de Manejo e Certificação Florestal Agrícola (IMAFLORA), patrocinado pela Petrobrás e desenvolvido em parceria com as comunidades quilombolas, que compreende outra importante etapa da cadeia produtiva que é a organização das comunidades para unificação do processo de coleta, armazenamento, transporte e venda a empresas cosméticas e farmacêuticas. O estudo conta ainda com um conjunto de dados do Censo Socioeconômico de Comunidades Quilombolas, realizado na região em 2014 pela MRN através da empresa de consultoria STCP. A proposta, portanto, é contribuir para um futuro plano de manejo e coleta de óleo-resina nessas áreas, a partir dos próprios comunitários. Os resultados revelam avanços na conscientização das comunidades envolvidas quanto ao uso racional dos recursos naturais e na estruturação do plano de uso futuro.
Ano: 2016
Páginas: 67 f.
Orientação: Maria Cristina Alves Maneschy, Dra
Link para o PDF: Clique aqui
Curso: Mestrado em Uso Sustentável de Recursos Naturais em Regiões Tropicais