Análise da capacidade metabólica de um consórcio bacteriano no tratamento de drenagem ácida de mina

Autor(es): FREDERICO, Tayná Diniz
Resumo: Drenagem ácida de mina (AMD) são águas residuais produzidas pela indústria mineradora. AMD apresenta concentrações elevadas de metais dissolvidos, sulfato e um pH ácido, tornando-se um grande poluente para o meio ambiente. O método mais utilizado no seu tratamento é a adição de um agente neutralizante, como por exemplo a cal (óxido de cálcio CaO. Método desvantajoso por produzir um lodo rico em metal e sulfato, encarecendo os custos operacionais. O tratamento biológico utiliza bactérias redutoras de sulfato (SRBs) e é uma alternativa ambientalmente atrativa, pois diminui a concentração de sulfato, aumenta o pH e possibilita a recuperação de metais de interesse econômico. Nesse trabalho foi realizado um estudo com um consórcio bacteriano cultivado em um biorreator anaeróbio, analisando a sua capacidade de sobreviver em ambientes ácidos e o tratamento de uma AMD sintética assim como a precipitação de um metal de interesse. Foram monitorados a diminuição do sulfato, consumo do glicerol e produção de acetato. Foram analisadas a atividade enzimática da enzima esterase (EST), atividade do sistema transportador de elétrons, a produção de biopolímeros e a diversidade dos microrganismos ao longo do experimento. O consórcio apresentou a capacidade de sobreviver em um ambiente ácido e desfavorável, como a AMD sintética. Aumentou o pH do meio, reduziu a concentração de sulfato e ocasionou a precipitação de metal. Foram realizadas as análises de atividade enzimática e metabólica dos microrganismos, ensaios ainda não realizados em estudos similares, com os resultados obtidos, foi observada a relação da atividade enzimática e metabólica com a degradação da matéria orgânica e crescimento celular. A análise de diversidade dos microrganismos mostrou que os microrganismos dominantes no biorreator foram do gênero Desulfosporosinus e Clostridium, sendo o Desulfosporosinus um organismo tolerante a ambientes ácidos. Apesar da necessidade de aumentar a quantidade de composto orgânico administrada para o consórcio e a introdução de um microrganismo que consuma acetato no cultivo, já que o acetato é uma substância tóxica para SRBs, o consórcio bacteriano mostrou ser uma boa alternativa para ser utilizado em tratamentos de AMD, possibilitando o aumento do pH, diminuição da concentração de sulfato e precipitação de metais de interesse econômico.
Ano: 2019
Páginas: 90 f.
Ano de publicação: 2019
Orientação: Guilherme Corrêa de Oliveira, Dr.; José Augusto Pires Bittencourt, Dr.
Link para o PDF: Clique aqui
Curso: Mestrado em Uso Sustentável de Recursos Naturais em Regiões Tropicais