18/09/2020 Pesquisa

Pesquisa favorece a conservação e uso do Jaborandi nativo na FLONA de Carajás

Jaborandi se encontra na lista de espécies ameaçadas de extinção da flora brasileira.

A combinação do conhecimento científico com o saber tradicional tem sido uma rica fonte para os estudos voltados ao uso sustentável do Jaborandi na FLONA de Carajás, espécie que se encontra na lista de ameaçadas de extinção da flora brasileira. Liderada pelo Instituto Tecnológico Vale, em Belém, a pesquisa atua no mapeamento das áreas de ocorrência, determinação da diversidade genética, seleção de plantas e estudos de manejo do Jaborandi.

Além de contribuir diretamente para a elaboração de planos de conservação e uso sustentável da espécie, a pesquisa busca identificar plantas nas áreas mapeadas que sejam representativas para conservação e também aquelas com maior potencial produtivo. O estudo usou milhares de marcadores moleculares tipo SNPs (Single Nucleotide Polimorphism), os quais permitem avaliar de maneira precisa a representação do genoma.

“Junto com a seleção de matrizes, estes resultados compõem peça importante para uso sustentável do Jaborandi. Estudos em andamento utilizam a técnica de machine learning para incorporar variáveis ambientais e também marcadores genéticos de aproximadamente 300 plantas de Jaborandi. O objetivo é identificar genes e/ou fatores ambientais associados a altos teores de pilocarpina”, declara Cecílio Caldeira, pesquisador do ITV.

Novas etapas do estudo buscam avaliar a fisiologia e aspectos nutricionais do Jaborandi, com a criação de um Banco de Germoplasma para assegurar a conservação da diversidade genética da espécie, bem como o plantio de mudas em áreas de recuperação ambiental, onde poderão ser manejadas para maximizar a produção de material vegetal e pilocarpina.

O Jaborandi é única fonte natural de pilocarpina, substância extraída das folhas e usada no tratamento de doenças como glaucoma e xerostomia, distúrbio associado à baixa produção de saliva pelas glândulas salivares. Além disso, a coleta de folhas da espécie na floresta gera renda para famílias associadas à Cooperativa dos Extrativistas da FLONA de Carajás (COEX-CARAJÁS), por meio da venda de sementes de Jaborandi para o viveiro de mudas da Vale em Carajás.