03/04/2017 Eventos

Como recuperar uma área degradada? Vale e ITV lançam Guia de Plantas sobre o assunto

A Vale e o Instituto Tecnológico Vale (ITV)  acabam de lançar o Guia de Plantas voltado para a recuperação de áreas de canga mineradas ou impactadas por outras atividades humanas. A canga é um ambiente bastante comum em áreas onde existem grandes jazidas de ferro, como no caso do quadrilátero ferrífero, cuja área ocupa cerca de 7 mil quilômetros quadrados, em grande parte localizado na região Central de Minas Gerais.

O evento aconteceu no Memorial Vale, em Minas Gerais, e contou com a presença de empregados, pesquisadores do ITV, representantes de universidades e do governo do Estado.

destaLANÇAM. GUIA PLANTAS 21MAR17 (110)_01

Da esquerda para a direita: José Oswaldo Siqueira (Diretor Científico do ITV em Belém), Antônio Furtini ( Pesquisador do ITV);
Ana Giulietti (Pesquisadora do ITV) ; Ramon Braga (Engenheiro Ferrosos Sul); Gleuza Jesué ( Gerente de Meio Ambiente da Vale);
Ricardo Oliveira ( Gerente de Meio Ambiente e Qualidade Sul) e Luiz Mello (Diretor-presidente do ITV
e Gerente de Tecnologia e Inovação da Vale). Foto: Nei Rivello

Para produzir o guia, a gerente de Meio Ambiente da Vale, Gleuza Jesué, explicou que foram analisadas mais de 1,2 mil espécies para determinar quais seriam indicadas para uso da recuperação de áreas impactadas. Para isso, foram definidos alguns critérios, entre eles, se seus nomes estão na Lista de Espécies Ameaçadas de Extinção, do Ministério do Meio Ambiente, se produzem muitas sementes, se têm crescimento vigoroso, se são colonizadoras de áreas descobertas (clareiras) e se são utilizadas pela população como espécie ornamental, medicinal ou alimentícia, entre outras características.

video-teste-a-23-03-17

Gleuza Jesué, Gerente de Meio Ambiente da Vale,
afirma que Guia de Plantas é um legado para toda sociedade.

“Com esse trabalho, estamos desmistificando que só se usa espécies exóticas em recuperação de áreas. Esse trabalho é principalmente para a sociedade. Pode ser utilizado por qualquer empresa, por qualquer comunidade, em qualquer área. É um produto para o Estado de Minas Gerais”, afirma Gleuza.

Ao todo foram selecionadas 75 espécies de diferentes famílias. São cactos, capins, canelas-de-ema, bromélias e orquídeas, todas de vegetação rasteira e de pequeno porte, características da flora de canga ferruginosa. Cada espécie é identificada com fotos, desenhos das exsicatas (folhas, flores etc.), características morfológica e de reprodução, a distribuição geográfica, se está ameaçada de extinção e sua importância para a recuperação de áreas degradadas.

Um dos autores do guia, o pesquisador  do ITV Antônio Furtini, destaca que esse trabalho foi fruto de uma ano e  meio de estudos e trabalho em campo, realizado por uma equipe multidisciplinar, e que deve ser apropriado por todos os profissionais que atuam na recomposição da funcionalidade do ecossistema que foi modificado ou reconstruído.

“As empresas de mineração que vão continuar existindo no futuro são as que têm sustentabilidade no DNA. Entender de botânica, fazer pesquisas básicas e fundamentais, produzir conhecimento sobre esse assunto é um aspecto tão importante quanto fazer a lavra ou beneficiamento no melhor padrão mundial”, explica Luiz Mello, diretor-presidente do Instituto Tecnológico Vale.

Canga da Flora de Carajás

Durante o evento, a pesquisadora do Instituto Tecnológico Vale, em Belém, Ana Giulietti, apresentou o primeiro volume do Catálogo sobre a Flora das cangas da Serra de Carajás. O trabalho foi desenvolvido por 74 pesquisadores de 22 instituições brasileiras e internacionais e foi publicado na Revista Rodriguésia, um dos periódicos sobre botânica mais importantes do país. Este primeiro volume, dos três a serem publicados, é composto por 55 monografias de famílias botânicas, incluindo 139 gêneros e 248 espécies tratadas.

Volumes impressos do Guia serão enviados para universidades e centros de pesquisa que atuam na área ambiental, bem como para órgãos do poder público. Os guias também estarão disponíveis no site da Vale.

video-teste-b-23-03-17

Luiz Mello, diretor-presidente do ITV e gerente
executivo de Tecnologia e Inovação da Vale.

Clique sobre a capa para conferir o Guia de Plantas e Catálogo sobre a Flora das cangas da Serra de Carajás:

Notícias relacionadas