Brain Computer Interface

Um equipamento fixado ao redor da cabeça, capaz de captar sinais elétricos cerebrais, decodificá-los em algoritmos e antecipar ações humanas antes mesmo de serem tomadas. O teste que mais parece cenário de ficção científica já foi realizado com êxito por pesquisadores do Instituto Tecnológico Vale (ITV), de Belém (PA). Desde 2013, o ITV vem desenvolvendo um software que utiliza a tecnologia BCI (Brain Computer Interface). Como o próprio nome aponta, o BCI trabalha com a interação entre cérebro e computador. O objetivo dos pesquisadores com a tecnologia é criar um sistema que possa antecipar possíveis acidentes por falha de condução de equipamentos e, com isso, reduzir situações de risco de vida a que empregados da Vale estão expostos no dia a dia do trabalho, aumentando a segurança nas operações.

No laboratório do ITV, em Belém, os pesquisadores realizaram, com sucesso, uma simulação com um carro virtual, no qual conseguiram antecipar-se a manobras de mudança de direção do condutor. A antecipação foi de até um segundo, em alguns casos, e o nível de precisão chegou a 90%. No teste, foi usado um neuroheadset – o equipamento acoplado à cabeça – com 14 eletrodos que captaram sinais de eletroencefalografia (EEG), as ondas elétricas cerebrais. “Podemos dizer que a antecipação pode ser considerada um processo cognitivo que acontece quando o sujeito se envolve ativamente em uma fase de preparação para a percepção de um estímulo e a transformação desses estímulos em ações específicas.